domingo, 15 de fevereiro de 2009



HOLOCAUSTOS: CRIMES CONTRA DEUS E A HUMANIDADE


Valter de Oliveira



Confesso que os últimos acontecimentos noticiados pela mídia a respeito do bispo Williamson, a reação da comunidade judaica e o pedido de perdão do Papa por aqueles que negam o holocausto deixaram-me perplexo. E, ao mesmo tempo, por paradoxal que pareça, alegre e esperançoso. Explico-me.

1. a perplexidade

Em primeiro lugar fico perplexo com o fato de alguém negar que o povo judeu não tenha sido vítima de uma das maiores barbáries da História. O assassínio de tantas vítimas inocentes foi, como disse o Papa, um “terrível crime”. E negá-lo “é intolerável e totalmente inaceitável”.

2. a insensibilidade

Em segundo lugar surpreende-me a insensibilidade do homem moderno diante de tantas monstruosidades cometidas por aqueles que querem construir uma sociedade perfeita baseada exclusivamente no homem. Só almas insensíveis, cobertas pela lepra do indiferentismo e do pecado, não conseguem ver os sofrimentos de tantos inocentes que foram e são eliminados por aqueles que defendem tenazmente a cultura da morte. Talvez se entenda então porque o Papa se viu obrigado a dizer: “O ódio e o desprezo por homens, mulheres e crianças, manifestados na Shoá, foi um crime contra Deus e contra a humanidade”.

Se os homens levassem um pouco a sério o que Deus nos ensinou – a todos de religião de origem semita – não seria necessário recordar-nos do que é óbvio.

Eu, como católico, relembro o que aprendi ainda jovem no catecismo: há quatro pecados que bradam ao Céu: O homicídio voluntário, o pecado de sodomia, a opressão dos pobres, não pagar o salário a quem trabalha.

Se um só homicídio merece tal repulsa por parte de Deus, o que dizer de massacres de grupos, raças e povos?

3. E por que me alegro?

Primeiro porque quando em minhas aulas trato das abominações do mundo moderno costumo mostrar os crimes cometidos pelo socialismo. E sempre começo pelo socialismo nazista. Crimes contra judeus e não judeus. Crimes contra alemães. Crimes contra seres humanos inocentes. Saudáveis e deficientes.

Nessa minha cruzada particular passo o filme “Julgamento em Nuremberg(1). Discuto com os alunos a mentalidade de cada um dos 4 nazistas acusados. Do degenerado, do fanático, do jurista respeitável, do juiz bonzinho e legalista que se julga inocente afirmando que o papel de um juiz é apenas aplicar a lei, sem questioná-la. Não fora ele que a tinha promulgado. Ele era simplesmente um fiel servidor do Estado...

E qual foi o grande erro, o grande crime dos legisladores nazistas? Foi afirmar que o Estado tem o direito de fazer qualquer lei que achar conveniente. Claro que, dizendo que é para o bem do povo ou da sociedade. E esta lei humana não pode ser limitada por ninguém. Nem pela lei divina e nem pelo direito natural. É a postura do Estado laicista sempre criticada pela Doutrina Social da Igreja.

Laicismo criminoso defendido pelos jacobinos do Terror.

Laicismo hediondo defendido pelos totalitários nazi-fascistas.

Laicismo abominável defendido pelo positivismo, pelo sociologismo jurídico, pelo existencialismo ateu, pelos marxistas. Todos hoje unidos em defesa da cultura da morte.

Laicismo desgraçadamente defendido pela declaração da Diretoria Nacional do PT ao defender o aborto, ou seja, o extermínio de inocentes. Razão: a pretensa autonomia que a mulher teria o direito sobre seu corpo. (2)

Graças a Deus estamos no pólo oposto. O que o juiz Haywood afirmou na sua sentença final em Nuremberg (3) nós bradamos com toda a alma: o nosso propósito de defender sempre o valor inalienável da vida de cada ser humano.

Alegro-me também porque nós católicos, que conhecemos e amamos a doutrina da Igreja e os ensinamentos luminosos de Nosso Senhor Jesus Cristo realmente estamos comprometidos na rejeição de toda forma de antissemitismo. E por uma razão muito simples: estamos comprometidos com toda a criatura humana. E por isso defendemos a inalienável dignidade do ser humano desde sua concepção. É uma alegria imensa saber que nenhuma outra instituição na Terra defende a vida humana tal como a defendemos.

4. A esperança

O Papa pediu perdão pelos pecados cometidos contra os judeus. Estranhei. Por que pedir perdão pelos crimes cometidos por nazistas? Ou pelas ignomínias proferidas por seus simpatizantes? Nós também fomos vítimas deles. Milhares de nossos irmãos perderam suas vidas por se oporem à gnose socialista nazista. Quem matou S. Maximiliano Kolbe e nossa irmã judia, S. Edith Stein?

E nós brasileiros ainda temos um motivo de glória: mais de 500 soldados, mais de 500 homens de valor que morreram para que o nazismo desaparecesse da face da terra!

Talvez o pedido de perdão do Papa queira dizer que a Igreja chora não só por seus filhos infiéis mas, por todo ser humano que perdeu a noção do valor da vida: a terrena e a eterna. Dos batizados e dos não batizados.

Finalmente, minha esperança é que todos os homens, em especial os judeus que viram tantos de seus filhos inocentes serem massacrados, unam-se a nós, católicos, para defender a vida humana.
Poderíamos começar relembrando outros genocídios, outros holocaustos. E condenando alto e bom som os crimes abomináveis cometidos por outro tipo de socialismo: o socialismo marxista.

Ainda há países socialistas que persistem em negar o valor intrínseco da vida humana. Seus algozes continuam no poder. Já no mundo democrático partidos socialistas e comunistas, e todos os seus simpatizantes, em todos os setores da sociedade, continuam a defender que não é crime matar inocentes por razões políticas e defendem asilo para seus criminosos!

Pior ainda: negam obstinadamente os terríveis crimes que praticaram contra populações inteiras. (4)

Também sobre estes “holocaustos” deveríamos aplicar as palavras do Papa:
"Não há dúvidas (...) – de que toda negação ou minimização deste terrível crime é intolerável e totalmente inaceitável." "Este capítulo terrível da nossa história não deve ser esquecido nunca", sentenciou.

Assim sendo, creio que em nome de tantas vítimas inocentes, temos que exigir:

Que a ONU, todas as igrejas cristãs, todos os líderes religiosos do mundo inteiro, todos os que justamente defendem a dignidade humana condenem, publicamente, todos os crimes praticados por Lênin, Stalin, Mao Tse Tung, Pol Pot e quaisquer outros criminosos políticos. Que se faça um monumento em homenagem a tantas vítimas inocentes. Que se exija dos defensores de tantas atrocidades que publicamente peçam perdão por defender o indefensável. (5)

Por último um pedido do fundo de nossas almas: a condenação mais radical de milhões de abortos praticados todos os anos. Com um grande mea culpa das “católicas” pelo direito de decidir e de todos os que tanto se obstinam em assassinar seres humanos inocentes.

Cabe a mim e a você, meu caro amigo leitor, empenharmo-nos com ardor para que isso seja possível.

Roguemos a Deus para que estes outros holocaustos - sempre lembrados e condenados pela Igreja - possam também ser condenados por toda a sociedade. Será um enorme bem para a humanidade e motivo de imenso júbilo no Céu.


Notas

1. Julgamento em Nuremberg, 1961, direção de Stanley Kramer.

2. O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores é contrário à CPI do Aborto e reafirma o compromisso de luta pela descriminalização do aborto e em defesa da igualdade e autonomia das mulheres sobre seu corpo e sua vida. O Partido dos Trabalhadores - PT- em seu 3° Congresso Nacional, ao tratar deste tema definiu e aprovou a seguinte resolução: "defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público evitando assim a gravidez não desejada e a morte de centenas de mulheres, na sua maioria pobres e negras, em decorrência do aborto clandestino e da falta de responsabilidade dos Estados no atendimento adequado às mulheres que assim optarem." Tratar desse tema criminalizando as mulheres, impondo valores religiosos ou morais, é apostar no autoritarismo que queremos que não exista em nossa sociedade. Brasília, 09 de fevereiro de 2009.

Obs: Observe-se a hipocrisia: a ideologia totalitária petista defende o extermínio de inocentes e acusa de autoritários quem defende a inviolabilidade da vida h
umana! Não é de estarrecer? E o que não querem que exista? O crime? Não. O que escancaradamente afirmam é que desejam que os valores morais e religiosos desapareçam da sociedade!

3. "Diante dos povos do mundo que seja aqui registrado... que na nossa decisão foi isso que defendemos... Justiça... Verdade... e o valor de cada ser humano (and the value of a single human being).

4. O PCdoB, do sr. Aldo Rebelo, devoto de Stalin e de Mao Tse Tung tem a desfaçatez de afirmar: “O socialismo ontem, hoje e amanhã será sempre a expressão da luta
pela construção de uma nova sociedade, antagônica ao capitalismo. Nas quatro/cinco décadas de vivência do socialismo, alcançaram-se êxitos históricos e cometeram-se também erros” (...) (site do PCdoB, respostas às perguntas mais freqüentes. Questão: “O socialismo ainda está na ordem do dia?)

Em suma, caros amigos, OS ERROS são os 100 milh
ões de mortos vítimas do comunismo...

5. Neste sentido também mostro a meus alunos os crimes praticados pelo socialismo marxista no Camboja apresentando a eles o filme: “Os gritos do Silêncio”, direção de Roland Joffé, vencedor de três Oscar.




18 comentários:

maria disse...

muito boas palavras !
sissa

Realista disse...

É mesmo?? Você se esqueceu de falar dos crimes da igreja romana na 2GM!!! Que tal citarmos o regime católico croata(pró-nazi) de Ante Pavelic, que exterminou mais de 1 milhão de não-católicos ( a maioria sérvios ortodoxos). Houve intensa cumplicidade sacerdotal com o genocídio na Croácia, com as bênçãos do papa. As atrocidades croatas eram tão imensas que chocavam até mesmo as SS! E o que dizer do regime católico eslovaco(pró-nazi), liderado pelo monsenhor Jozef Tiso??? A exemplo da Croácia, o regime de Tiso perseguiu vários não-nazistas e não-católicos. E o vaticano nada de protestar!!
E o que dizer das Ratlines? o vaticano ajudou inúmeros nazistas a fugirem da Europa, através de passaportes. Nazistas alemães e croatas que nem Klaus Barbie,Adolf Eichmann,Josef Mengele, Ante Pavelic e Dinko Sakic foram ajudados.
Você que o nazismo é laico??
Sério??
O nazismo alemão tinha o lema: "Gott mit uns"
o nazismo croata era muito católico.

Prof. Valter de Oliveira disse...

Prezado Senhor...

Lamento muito que o sr. não tenha se identificado. E também que não tenha citado as fontes de suas afirmações. Se puder, envie-as. Ficarei muito grato.

Meu artigo teve por finalidade – entre outras coisas – mostrar que não foram só os nazistas que cometeram “holocaustos”, genocídios ou massacres. Lembrei também os crimes praticados pelo socialismo marxista. E o massacre dos inocentes promovido por novos Herodes.

Não falei da Croácia como também não mencionei as barbáries praticadas pela Revolução Francesa ou as loucuras cometidas em recentes guerras na África.

Não estudei os fatos citados pelo sr. Supondo que suas fontes sejam absolutamente verdadeiras nada provariam contra meu artigo.

Do nazismo podemos dizer o mesmo que Pio XI disse do socialismo: “ninguém pode ser verdadeiro católico e verdadeiro socialista” (1) Ora, o nazismo é simplesmente um socialismo nacionalista. E como todo socialismo com uma visão completamente errada sobre o homem e sobre o Estado.

O fato de certos católicos (e outros crentes) terem se deixado arrastar pela loucura do nazismo pagão e gnóstico é uma triste realidade. Foram homens e mulheres que não quiseram ouvir a voz da verdade. Que destruíram suas consciências, suas vidas e contribuíram para terríveis atrocidades.

Até em nosso país tivemos católicos que simpatizaram ou apoiaram movimentos totalitários fascistóides.

Não agiram como católicos. Como não o fazem “católicos que defendem a Teologia da Libertação marxista e os defensores da Cuba de Fidel e do Vietnã de Ho Chi Mihn. Ou ainda as abortistas “católicas” pelo direito de decidir.

Mas, por outro lado, como sempre, havia milhares, milhões de católicos fiéis à doutrina da Igreja. Lembre-se que a encíclica de Pio XI contra o nazismo foi lida em todas as igrejas alemãs (eram mais de 11.000) nas missas do domingo de Ramos, 21 de março de 1937. A unanimidade foi absoluta.

Veja qual foi a reação de Hitler:

“Após a leitura e publicação da encíclica, começaram as perseguições à Igreja católica. Em maio de 1937, 1.100 padres e religiosos são lançados nas prisões do Reich; 304 sacerdotes católicos são deportados para Dachau em 1938; as organizações católicas são dissolvidas e as escolas confessionais interditadas”.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mit_brennender_Sorge

1. Pio XI. Encíclica “Quadragesimo Anno”

2. Carta Encíclica de Pio XI (14 de Março de 1937) que condenou expressa e formalmente os erros do nacional-socialismo alemão (nazismo).

Em suma, barbáries cometidas por quem quer que seja, grandes ou pequenos, são sempre barbáries. Que merecem o mais total repúdio. Meu e seu.

PS: escreverei artigos contra o nazismo. Também pretendo mostrar as injustiças cometidas contra Pio XII.

Grato pela atenção.

Realista disse...

Ah,sei...O Vaticano condenou tanto o nazismo que ajudou Mengele,Eichmann,Stangl e outros nazis a fugirem pra Am. do Sul; ajudou também os nazi-croatas Ante Pavelic, Dinko Sakic, Andrija Artukovic etc. a fugirem também. Você achará na net vários artigos sobre a Ustasha (nazis croatas). A base da Ustasha era o catolicismo e o chauvinismo croata(o nazismo eslovaco era similar). Em suma, a Ustasha tinha elementos do nazismo e da Inquisição!!!!
Só pra te lembrar....a Slovakia pró-nazi foi chefiada por 1 padre!! (Jozef Tiso).
Que eu saiba, o Vaticano não tomou nenhuma atitude dura contra os padres nazistas...
Padres da Croácia,Slovakia,Áustria,Alemanha etc.
Nem mesmo depois da queda de Hitler. Se o Vaticano não pune seus subordinados(que cometeram crimes) então significa que o Vaticano é cúmplice do nazismo e dos padres simpáticos a este regime. Só pra te lembrar, a igreja católica alemã tinha escravos durante o nazismo. Nenhum padre escravocrata foi punido por Roma. Ah, antes de você criticar o marxismo,capitalismo,anarquismo, social-democracia etc. critique o catolicismo.Se o marxismo cometeu crimes, imagine o catolicismo.
Outra pergunta. Pq o Vaticano não tomou atitude dura contra os sacerdotes envolvidos no massacre de Ruanda??

Realista disse...

Você que fala do Vietnã, deveria se lembrar do regime católico de Saigon, de Ngo Dinh Diem. Diem, influenciado por seus irmãos Ngo Dinh Nhu(chefão da polícia local) e arc. Ngo Dinh Thuc(chefe da igreja católica vietnamita), perseguiu duramente os budistas(vários foram presos e mortos) e promoveu a alta corrupção no governo. Isso causou sua deposição em 1963, mando de JFK (ironicamente católico).

Anônimo disse...

Muito conveniente essa postura, quando eles atuam de forma correta eles são católicos, mas quando não aí eles são ateus-comunistas-marxistas etc.
Porém a historia da Igreja está bem recheada de massacres, abuso de poder, corrupção, interesses, intrigas.
Quanto a Hitler a igreja foi bem conivente e agora vem com essa conversa de que o papa atuou nos bastidores, porém, nem todo mundo com pra essa, aliás existem livros com pilhas de evidências sobre a inércia do papa.
Falar de 1.100 padres e religiosos que são lançados nas prisões do Reich, não significa nada em face aos milhões de mortos "não-católicos", que morriam enquanto o Vaticano mantinha as "boas relações" com o nazismo e o fascismo (aliás o Vaticano virou até um Estado de verdade graças a essas boas relações).
Quanto a falar da África podemos ver os belos exemplos de clérigos católicos em Ruanda participando ativamente dos massacres.
Como essas doces freirinhas - http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2001/010609_ruanda.shtml
Ou esse caridoso padre- http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/2006/12/13/ult1807u33114.jhtm
Ou ainda esse "casto" padre - http://www.abril.com.br/noticias/mundo/corte-genocidio-onu-condena-padre-ruanda-25-anos-289523.shtml

Mas é claro que a culpa de tudo é do ateísmo-comunista-marxista-bolchevique.

E também é igualmente óbvio que o papa e o Vaticano não sabiam de nada, alias eles nunca sabem de nada, o país tem até seu próprio serviço de inteligência, mas nunca sabe de nada, nem assumem a responsabilidade, com seriedade, sobre nada. (esse truque é velho)

Edwi disse...

Curioso o senhor mencionar a questão do aborto da menina onde ouve permissão legal para tal, dizendo que os católicos são defensores fervorosos da vida. Entretanto seguem uma bíblia repulsiva, que prega escravidão, submissão, que conta uma narrativa onde milhões de pessoas morreram na tentativa de seu deus de erradicar o mal do mundo (sem sucesso), matou praticamente um planeta afogado num suposto dilúvio... Isso para não me alongar muito.
O dia que a ICAR tiver um sacerdote na idade desta menina, e este for estuprado, engravide, tenha sérios riscos de saúde por conta disto, seja obrigado a ter esta criança, sem estrutura física, psicologia e social, crie-a em condições totalmente desfavoráveis, sofrendo danos mentais indizíveis... SIm! Quando este dia chegar terei muito prazer em ouvir a opinião da ICAR sobre o aborto!

Anônimo disse...

Até parece meu caro!

Milhões mataram em nome de alguma religião.

Caso nós nos atermos a biblía que não passa de um livro como outros, e bem ruim, por diversas passagens violentas, racistas e cheias de preconceito.


Sobre ateus fazerem atrocidades, estas nunca foram feitas em nome do ateísmo e sim do regime autoritário criado (explo disso o marxísmo), outros famosos ateus que comeram atrocidades e podemos citar muitos seguiram esse mesmo racioncínio, e repito, matar em nome DEUS é fato comum e corriqueiro de nossos entepassados e atualmente podemos ver isso, sendo veínculado no Jornal nacional todos os dias.

Prof?

Não acha que esta sendo tendencioso em demasia, fala em fontes ao anonimo acima, fontes temos aos montes desde obras escritas a artigos públicados.

Sobre o nazismo, Hitler era cristão e ainda por cima católico, apenas a "santa" e velha igreja tem muito mais poderes que a vã memória da história há de constatar.


Saudações

Giovane

Stefano disse...

Só pra lembrar... Hitler nasceu na Áustria(na época império austro-húngaro). O catolicismo era a fé oficial deste antigo império. A dinastia Habsburg era católica devota.

Sérgio disse...

Eu tenho uma pergunta amigo.. ela é retórica.
Digamos que eu seja um senador.
Explique para mim porque você é contra o aborto e porque todo o país deveria também ser.

Explique para mim também, já que você é contra o laicismo... porque eu e o estado deveríamos apoiar sua religião ao invés de todas as outras.. como a hindu por exemplo.

Prof. Valter de Oliveira disse...

É isso Stéfano. Hitler nasceu na Áustria, logo é católico. E se é nazista, logo todo católico é nazista. E gato que nasce no forno é biscoito.
E o Lula que nasceu em Pernambuco é presidente. Logo todo pernambucano é presidente...

Sérgio. Você como senador - e todo cidadão brasileiro - deve respeitar a Constituição que afirma que a vida humana é inviolável. E cabe a você, a mim, a todo ser humano defender o inocente. Também sou contra a escravidão e a favor da ética na política e nas leis. E acho que todo o país também deveria ser...

Laicista é quem quer proibir que as pessoas de fé exponham publicamente suas idéias e não aceita a influência delas na vida pública. Ou seja, só vale opinião de ateu. Pura violação da Constituição e da Declaração dos Direitos Humanos. Se quiser entender mais acesse o site do Pe. Francisco Faus e leia o artigo sobre laicismo. Vale a pena.

Stefano disse...

Valter, você não entendeu o que eu disse. Hitler(1889-1945) viveu na Áustria até o começo dos anos 1910. Ele cresceu numa atmosfera católica. Todo austríaco deveria sér católico. Não estou abordando Hitler no ângulo nazista neste caso... só estou abordando o ambiente austríaco.

Stefano disse...

"Laicista é quem quer proibir que as pessoas de fé exponham publicamente suas idéias e não aceita a influência delas na vida pública. Ou seja, só vale opinião de ateu."

e por acaso os clericalistas não querem calar a opinião de pessoas não-religiosas?? Oia oia...

Sérgio disse...

É o que eu digo, a maioria dos religios, não tem argumentos contra o aborto, senão, o que está escrito na bíblia.
Isso remete a segunda pergunta.

A palavra laico vem de "leigo".
Significa que o estado não conhece religião alguma.
Se ele não conhece nenhuma religião, então ele não interfere nos rituais de nenhuma religião e tão pouco, deixa religião alguma, interferir no seu juízo.
Dessa forma, nenhum livro religioso pode ser usado como argumento contra uma lei à ser aprovada pelo estado.

É ai que você entra e grita: "o estado é ateu!"

Mas não é.
Imagina se o estado fosse basear-se em livros religiosos para fazer suas leis.. imagina ele usando o corão por exemplo.
Teriamos mulheres sendo espancadas em praça pública por repreender o marido.

Não deixar que argumentos religiosos sejam válidos para o estado, permite a igualdade entre todos os brasileiros.

Eu não sigo religião alguma.
Não quero que nenhuma interfira na minha vida.

Você que segue o catolicismo, concerteza não ficaria feliz se o hinduismo fosse imposto à você.

Isso é laicismo.
Igualdade entre pessoas, não levando em concideração sua religião.
Por isso o estado mantém-se leigo quanto à religiões.
Porque o Brasil é formado por milhares de pessoas que seguem milhares de credos diferentes e não seria justo impor um credo de um brasileiro à outro brasileiro.
Nós não somos católicos para o estado, não somos ateus, mormons, maçons.. nós somos brasileiros.

Esse caso do aborto é bem controverso, minha opnião é formada e eu sou contra.
Nunca precisei usar a bíblia, corão ou qualquer outro livro para provar que um feto deve ser considerado um ser vivo.
Eu uso o código penal brasileiro como base à minha afirmação.

Não há motivos para misturar a religião com o estado.
Se você não gosta do laicismo.. você estaria implorando por ele se esse pais não fosse e a religião imposta fosse o budismo ou semelhante.

Stefano disse...

Sérgio, não só o extremismo e totalitarismo islâmico...
Se lembre de regimes totalitários católicos... Aliás... o século XX testemunhou vários.

Ex: A Itália de Mussolini,Portugal de Salazar,Espanha de Franco,Croácia de Pavelic,Eslováquia de Tiso, o Vietnam do Sul de Ngo Dinh Diem....

Alguns destes regimes citados conseguiram ser até + cruéis que as teocracias islâmicas.

Mary disse...

Ninguém vai falar da Utasha?

George Luis disse...

Prof. Valter, o senhor esqueceu de citar o número de vítimas diárias do holocausto social imposto pelo capitalismo. Ou as pessoas que morrem de fome, em guerras do capital, perseguidas são porque não são crentes em um certo deus?

Stefano disse...

Mary.... o assunto Ustasha foi citado anteriormente...